Resenha: O Estranho Mundo de Zofia e Outras Histórias (Kelly Link)

Título Original: Magic For Beginners
Autores: Kelly Link
Editora: Leya
Páginas: 264
Gênero: Ficção; Contos
Classificação: 3/5

Sinopse: Um livro maravilhoso, que ultrapassa os limites da imaginação! Que tal encontrar um mundo inteiro numa bolsa? Ou jogar pôquer com parceiros, digamos, apocalípticos? O livro que você possui nas mãos nada mais é do que o fantástico e mágico mundo de Kelly Link, uma das autoras mais consagradas da atualidade. Considerado o melhor livro do ano, "O Estranho Mundo de Zofia e Outras Histórias" permeia os limites da imaginação dos que se permitem ser transportados a um mundo fabuloso, cheio de estranhas criaturas, coelhos, jogos muito estranhos, fantasmas, zumbis, feiticeiras, amores e heróis. Deixe-se levar pelas encantadoras histórias deste livro. Afinal, quem precisa de realidade? "O Estranho Mundo de Zofia e Outras Histórias" é a prova de que sonhar define o tamanho do poder da criação.

Esse foi um livro onde eu não sabia nada sobre a estória, mas a capa é tão linda e encantadora, que acabou me conquistando e me deixando bastante curiosa. Ganhei O Estranho Mundo de Zofia e Outras Histórias do meu namorado e resolvi num dia chatinho descobrir o que tinha naquelas páginas.

Este é uma coleção de nove contos independentes que são extremamente criativos, mágicos e surrealistas. Em determinado momento da leitura eu não estava entendendo nada e fui resolver dar uma olhada nas resenhas desse livro no Skoob e vi que muitas outras pessoas sentiram o mesmo que eu nesse livro: estórias meio que nonsenses e sem pé nem cabeça. Não que isso seja algo ruim, tem muitas coisas que são nonsenses, mas que são maravilhosas.

O problema é que eu não estava preparada para esse tipo de livro surrealista. Quando se lê o título do livro em português se pensa em um livro que gira em torno de Zofia e seu mundo peculiar, algo que não acontece no livro; comentei anteriormente que são nove contos independentes. Talvez que optassem por uma tradução do título em inglês não houvesse essa pequena confusão.

Enfim, direi o que achei de cada conto.

O primeiro conto é A Bolsa Mágica, onde envolve a Zofia, que é avó da narradora, e dona da bolsa mágica. Nessa bolsa, aparentemente normal, existe um povoado inteiro. Existem três modos de abrir essa bolsa: um onde se vê apenas o interior da bolsa, um que é o portal para o povoado da extinta cidade de Baldeziwurlekistão (pretendo nunca mais escrever essa palavra na vida!) e o último modo que é o errado, esse que tem uma importância para o conto.

Esse conto tem um final em aberto, mas achei bem legal a personalidade da Zofia e o mundo que a Kelly criou.

O Hortlak conta a estória de Batu e Eric, que trabalham em uma loja chamada Noite-Inteira e como o nome supõem, nunca fecha. Os principais clientes são os zumbis que moram lá por perto. Esse já foi um conto mais confuso, pois envolvia uma garota zumbi que tomava conta de cães fantasmas, tinha os pijamas estranhos do Batu e o final foi muito estranho, como se a autora simplesmente esquecesse-se de terminar aquilo que começou.

O Canhão de longe é o mais chato do livro, também de ser o mais curto. Não é muito parecido com um conto, mas sim diversos diálogos sobre a importância do Canhão, esta que já foi casada e que agora lança as pessoas. Muito estranho e nonsense.

O quarto conto é o Animais de Pedra, o quão eu não entendi quase nada. Uma família se muda para uma nova casa e esta acaba ficando repleta de coelhos, também com o decorrer dos dias a mãe as crianças acabam achando que algumas coisas estão ficando assombradas. Acho que vou precisar de 200 anos para tentar explicar o que foi o final desse conto, sério.

Pele de Gato foi o primeiro conto que eu realmente gostei. Esse conto fala que bruxas não podem dar luz a crianças, mas sim para casas. Por isso, as bruxas, acabam roubando bebês e os criando. Uma coisa interessante nesse conto é que as formigas que são as donas do tempo e que gatos não existem, na verdade eles são outra coisa. O fim desse conto me deixou um pouco melancólica.

Plano de Contingência Contra Zumbis conta sobre o misterioso Sabonete, na verdade esse não é seu nome. Ele foi preso e acabou ficando meio viciado em zumbis e icebergs. Sabonete entra de bicão em uma festa e acaba contando para uma menina seus pensamentos malucos, sua vida e o motivo dele ter ido para a cadeia. O conto seria bem normalzinho se não fosse pela última atitude do Sabonete.

O Grande Divórcio fala sobre humanos que decidiram casar com pessoas mortas e depois decidem se separar. Não gostei muito desse conto, mesmo que a Kelly tenha ido para um lado mais poético, o fato do cara ter 3 filhos com uma morta foi algo que me fez pensar em necrofilia. Não foi legal.

O penúltimo conto Magia para Iniciante foi o que eu mais gostei. Nele um grupo de adolescentes apaixonados por um seriado de TV chamado “A Biblioteca”, o curioso é que essa série não tem canal e nem horário determinado, sem contar que nunca é exibido na sequência cronológica. O legal que é vida de um desses adolescentes e da Raposa, protagonista da série, acabam se misturando e situações estranhas começam a acontecer.

E o livro termina com Calmaria, que ao contrário não é nada calmo. Esse é o conto mais confuso: tem uma casa assombrada, amigos de muito tempo, clonagem, o próprio Diabo em uma festa, a vida que começa com a morte e termina no parto e um disk sexo que conta qualquer tipo de estória que você quiser.

A resenha ficou grandinha, me desculpem, mas esse livro me causou tantos sentimentos que não teria razão se eu fizesse um textinho pequeno. Enfim, não se levem pela capa, esse livro é um compilado de estórias surrealistas de uma das escritoras mais criativas que já vi. 


8 comentários:

  1. Achei bacana, esse é o tipo de livro que eu carregaria na bolsa pra ler quando eu estivesse sentada no banquinho esperando o ônibus. haha

    ResponderExcluir
  2. Desde que você disse que tava de ressaca literária por causa desse fillme eu fiquei esperando ansiosa pela sua resenha. Gente, essa autora tem uma imaginação muito louca! Fiquei com vontade de ler agora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma boa experiência de leitura e uma aula de criatividade. Quero ler mais livros da Kelly Link.

      Excluir
  3. Quando eu vi esse livro na livraria eu fiquei morrendo de vontade de levar pra casa por causa da capa, ela realmente é linda e desperta curiosidade. E agora pela resenha, apesar de ser complicado e nonsense eu fiquei com vontade de ler. Essas coisas tipo Alice no País das Maravilhas são sempre legais. (:

    Beijinhos!!
    Meios Dias Gastos
    Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca li/vi o filme inteiro do País das Maravilhas, mas na contra-capa tem um textinho dizendo que a Kelly foi totalmente influenciada por esse universo.

      Excluir
  4. Esse é um dos livros que estão na minha lista de tenho que ler, gostei dela pela capa também, mas nunca fui atrás de saber sobre o que falava, e depois de ler sua resenha adorei, amo histórias nonsente (Alice é um dos meus livros favoritos hehe) ♥ entendo esse seu bloqueio, já passei por isso várias vezes, já cheguei a ficar quase três semanas sem postar, triste kkkk

    lovelyblogcarol.blogspot.com

    ResponderExcluir

Já vai sem comentar?
Deixe sua opinião ou comentário aqui, ele é muito importante!