Resenha: Um Dia (David Nicholls)

Título Original: One Day
Autores: David Nicholls
Editora: Intríseca
Páginas: 410
Gênero: Romance
Classificação: 3/5

Sinopse: Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas - vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

A resenha de Um Dia é uma das que eu mais demorei a fazer, talvez minha dificuldade seja porque esse livro mexeu comigo de um modo estranho. No final da leitura fiquei me perguntando se afinal das contas eu tinha gostado ou não de Um Dia.

Esse livro conta a estória de Emma e Dexter, duas pessoas totalmente diferentes: ela é intelectual, quer transformar o mundo ao seu redor com as palavras e não sabe o quanto é linda, mas também é chata, pois se acha alternativa demais e superior aos outros, pois é muito inteligente. O outro já é bonito, rico e só pensa em festas e mulheres, sabe o quanto é galanteador que chega a ser um pouco arrogante.   

Os capítulos mostram como segue a vida de nossos protagonistas, a busca pelos seus ideais, sorrindo, chorando, se decepcionando e também nos fazem sentir raiva com suas atitudes imaturas. Mas algo que é muito legal nesse livro é que as personagens são muito reais e humanos, ninguém é totalmente bom ou mau.  

David consegue ao mesmo tempo construir uma narrativa simples e magnífica, a estrutura do livro é ótima, mas algo que me irritou um pouco foi narrar a vida de Emma e Dexter sempre no dia 15 de Julho, acabei ficando perdida em alguns momentos da narrativa, porque de um capítulo para a outro muita coisa mudava, os protagonistas já estavam em outros trabalhos, endereços e namorados.

Mas achei o romance maduro e real, com uma narrativa em terceira pessoa recheada de ironias e momentos que nos faz pensar o que aconteceria se Em ou Dex tivessem feito de outro modo, ou o que nós faríamos se aquela determinada situação acontecesse conosco.

O final me deixou bastante triste, pois não esperava de depois de tantos anos o autor optaria por terminar a estória de amizade e amor de Dexter e Emma daquela forma, foi algo tão triste, mas também real.

Não sei ainda dizer se odiei ou amei o livro, apenas consigo dizer que o senhor David Nicholls me fez refletir, rir e detestar em vários momentos nossos protagonistas.

Indico esse livro para todos que querem ler algo maduro, verdadeiro e bonito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já vai sem comentar?
Deixe sua opinião ou comentário aqui, ele é muito importante!